domingo, março 22, 2009

PORTUGAL DENTRO DE ...


Num estado catatonico, quase, ergueu-se!
Algo ou alguém lhe tocou no ponto certo.
Milagroso, quase, ergueu-se!
Olhos há anos cerrados, quais cadeados, abriram-se.
Estupefacto, quase, ergueu-se!
As pernas pareciam carregadas, presas, mexeram-se.
Sorriso, quase, ergueu-se!
Levantou o pesado corpo, de pé, caminhou.
Bocejo, quase, ergueu-se!
Recuperou o fôlego, deitou fora o catarro milenar.
Gritou, quase, ergueu-se!
Gentilmente ordenou a saída dos esfomeados.
Estava erguido!

10 comentários:

cassamia disse...

isso foi algum sonho???

tronxa disse...

hummm...

esse teu trabalho estará a fazer-te bem!?!!?!?

ehehehe

bjnhssss

António Sabão disse...

Quase?

Abraço

minda disse...

Portugal está a tornar-se realmente um País de esfomeados,de revoltados,de tristes!
Sei que tens um trabalho novo,espero que estejas a gostar,pois se gostarmos do que fazemos somos mais felizes!Bjo.

Horushu disse...

O que torna este um texto poético é o tom onírico que lhe confere a palavra "quase", tão inesperada. Como a cassamia disse, parece um sonho. E como disse Fernando Pessoa, "Deus quer, o homem sonha, a obra nasce." Um belo texto, Bernanrdo! Um abraço,
Jorge

Horushu disse...

sorry! um "typo".
Um abraço, Bernardo!

GMaciel disse...

Das mais belas coisas que já escreveste! Lindo e, como disse Horushu, onírico.

Quero ler mais.
;)

jocas gordas

Sofia Formozem disse...

Meu filho,

És um poeta!!!!

Ainda não estou em mim...

Mil beijos,



Mãe

MM disse...

Assim gosto.

Matraquilho disse...

ah poeta!
Gostei do poema e imagino-te erguido a declamá-lo em cadência solene.