quarta-feira, fevereiro 28, 2007

Discussão mensal na A.R.


"As mulheres que pretendam interromper uma gravidez até às dez semanas poderão requerer aconselhamento psicológico e apoio social, mas esta é uma escolha que caberá às próprias. "Acompanhamento facultativo" foi a solução encontrada por PS, PCP e BE na nova lei do aborto. A proposta foi concertada pelos três partidos na última semana e ontem entregue no Parlamento. O documento - mais detalhado do que foi inicialmente previsto pelo PS -, consagra a despenalização do aborto até às dez semanas, estabelecendo no artigo 142.º do Código Penal que a interrupção voluntária da gravidez (IVG) não é punível se "for realizada por opção da mulher, nas primeiras dez semanas da gravidez".Seguem-se as condições : os estabelecimentos de saúde (sejam oficiais ou reconhecidos oficialmente) ficam obrigados a "garantir em tempo útil" a realização de uma consulta. De carácter obrigatório,e na qual a mulher será informada sobre o acto clínico em si, sendo-lhe também transmitido que poderá requerer acompanhamento psicológico ou por uma assistente social durante o período de reflexão (que terá no mínimo três dias). Com carácter facultativo: apesar dos diferentes entendimentos sobre esta matéria no PS, na proposta ontem entregue a mulher pode dispensar este acompanhamento. Mas os estabelecimentos que pratiquem a IVG são obrigados a tê-lo, assim como têm de garantir encaminhamento posterior para uma consulta de planeamento familiar. A proposta estabelece também o dever de sigilo dos profissionais de saúde e a objecção de consciência.IVG antes do Verão.De acordo com Osvaldo Castro, presidente da Comissão de Assuntos Constitucionais, a lei será debatida na especialidade a 7 de Março."
Bom, parece que o governo está a cumprir e as medidas sugeridas para constarem na lei são aceitaveis.

4 comentários:

Jofre Alves disse...

O aborto continua, agora no Parlamento, ou paralamento.

Bernardo Moura disse...

Acho que é mais no paralamento (de nós todos)!
Abraço!

Anónimo disse...

Que bom mesmo , o ABORTO ser estudádo por HOMENS e algumas MULHERES NUM PARLAMENTO.
Os ABORTOS HOMENS dão o seu consentimento para que ao aquecer O CACETE a coisa fique em águas de BACALHAU com o sistema (toma e vai lá fazer o ABORTO).
Uma maravilha , uma maravilha .
Sistema do animal (CANINO) é a melhor , tem o que ser feito seja em que lugar seja , a cadela tem as CRIAS e os DONOS só teem que as meter num balde de água (caso não os queiram claro).
Comparações levádas da breca.
Mas tudo bem , vamos ver no fim quem é que vai arcar com as despesas da SAUDE.
É que da maneira como a SAUDE vai de vento em popa , espero sentádo para VER.
touaqui42

GMaciel disse...

As medidas preconizadas são de louvar, a ver vamos quais os entraves na prática.

Touaqui42, nós já pagamos os problemas de saúde originados pelo aborto clandestino, não é melhor pagar o aborto legalizado, mais barato, do que andar a pagar os erros de quem ganha milhares de euros não declarados?
Bem me parecia que sim!