quarta-feira, fevereiro 18, 2009

POR VEZES IMAGINO



Imagino um país.
Um país limpo,
A transbordar de paz.
Um país onde o respeito é mutuo,
Onde todos são aceites.
Um país sem tristeza,
Cheio de alegria e solidariedade.

Imagino um país.
Um país sem corruptos,
Sem jogos desleais.
Um país onde o jogo comercial seja limpo,
Em que os cidadãos não se esmagam.
Um país sem hipócritas,
Sem aldrabões e saltimbancos.

Imagino um país.
Um país onde eu,
tu,eles e nós podemos viver
Tranquilos e em paz.
Um país de pessoas com ideais,
Com força para defrontar os demais.

Imagino um país.
Um país sem traidores.
Sem gente que rouba,
Sem pudores.
Um país onde os homens e as mulheres,
Vivem com quem amam,
Sem terem de ver a sua sexualidade discutida em praça pública.

Imagino um país.
Um país onde as crianças brincam livres,
Sem perigos anormais.
Um país,
onde a liberdade de expressão é respeitada.
Onde a informação não é manipulada.
Um país onde os criminosos são punidos justamente.
Onde as pessoas não sintam medo de andar em frente.

Imagino um país.
Um país que roça o perfeito.
Onde há respeito pelo imperfeito,
Como eu,
Como tu e
Como nós.

8 comentários:

tronxa disse...

para kem estava sem feeling... nao ta mau...!!!

kd descobrires esse país... AVISA!!! sff...

bjnhsss bernardo, e que um dia a gente encontre um país desses... nem k seja dentro de cada um de nós!!

Bernardo Moura disse...

Claro que aviso!

Bjs

Silvia F. disse...

Não sei porquê fizeste-me lembrar o John Lennon! Ele há coisas ;P

Bernardo Moura disse...

Sinto-me lisonjeado.
Por acaso o título até lembra.
Mas escrevi este texto sem me inspirar nele. Este, porque em algumas ocasiões inspiro-me e revejo-me muito nele.

:)

Horushu disse...

Olá!
Há uns anos informei os meus pais que ia emigrar, ser português não é igual a ser masoquista. E disse-lhes que nem Portugal, nem AmeriKKKa nem nada, ia para um país de gente avançada: Canadá. Então a minha mãe lembrou-me do que eles fazem às focas à paulada. O ser humano é mau. Em qualquer partido, em qualquer lugar. Se eu tentasse melhorar a sério a política, faria pior. Sangrentamente pior. E isso também não. Imagino-me a viver numa aldeia, com 7 gatos e um Universo pessoal, onde tudo é possível... desde que se mantenha Literatura ou Xadrez, claro. Continuo a precisar de uma ou duas vezes por mês ter que ir à corrente eléctrica do meu frigorífico desligar a luz, pois este show de sermos quem somos também cansa. Mas sempre com um lema: mais do que cinco litros de cerveja já é alcoolismo! A menos, é claro, que não sejam todos bebidos ao mesmo tempo.
Um abraço,
Horus

Bernardo Moura disse...

Já pensamos nisso muitas vezes e é uma coisa que não está fora de questão.


Ab

Miriamdomar disse...

Belo texto! Muito boa imaginação! Continua! Pois da maneira como as coisas estão por aqui, bem precisamos dela, para ter forças para continuar!
Bjs

Bernardo Moura disse...

Obrigado!

:)

Bjs