quarta-feira, fevereiro 11, 2009

A GASOSA ESTÓRIA


Em tempos, tempos bem passados ao som dos "TROKUSPROSKOPUS", um individuo, amigo de um amigo de uma prima da vizinha da tia de uma amiga da minha prima, fazia brilharetes com a sua arte peidofica.
O individuo era um expert na arte de peidoricar. Sublime génio escondido numa cave de um prédio nos arredores de Lourosa.
Ele, o master peidik, como era conhecido, conseguia acender lareiras com o que ele apelidava de "uma reles bufita".
Companhia inseparavél era o isqueiro bic, verde, ao qual ele dava sempre um beijo após qualquer demonstração traqueosa.
Na terra onde ele mora, nos arredores de Lourosa, à uma festa todos os anos em memória de S.Trautino Bregalhós. Há uns anos estava a população desolada porque não tinham reunido fundos suficientes para os tão conhecidos fogos de artificio que eram lançados por volta das três da tarde. Master peidik apresentou-se na comissão de festas, com o seu isqueiro bic verde na mão. Parou em silêncio. Silêncio se fez. E por dez minutos assim se esteve. Calmo disse: "Calma. Eu trato dos fogos. Dêem-me feijão, grão-de-bico e água que eu cumpro com o que prometo.". Assim foi. Deram-lhe os produtos e retiraram-se.
A banda convidada tocava a bom ritmo, as chamuças saiam a bom preço, o vinho preenchia os demais e tudo corria bem.
Três menos dois e meio e Master peidik, nem vê-lo. Começa a instalar-se o pânico entre os comissários da festa.
O sino da igreja tocou. Três da tarde. A população parou e começou a olhar para o céu.
Silêncio.
De repente, uma linha de fogo se atravessou no céu. Parecia um meteorito, mas que em vez de vir do céu vinha da terra. Aplausos. Silêncio. Um cheiro a pelo queimado se sentiu. Um enorme coração de fogo se formou no céu. Aplausos. Silêncio. Um cheiro podre se sentiu. Duas pombas de fogo surgiram. Belo. Apoteotico. Aplausos. Silêncio. Um cheiro a pelo,podre e jeans queimados se sentiu. Golfinhos, cavalos, rosas, motas e chouriços de fogo surgiam no ar. Delirio absoluto. Aplausos. Silêncio. Um cheiro a pelo,podre,jeans queimados e cabelo estorricado se sentiu. Obrigado,voltem sempre,bebam mais uns copos de fogo surgiram no céu. Gritos. Aplausos. Comentários. Um cheiro a pelo,podre,jeans queimados,cabelo estorricado e banana frita se sentiu. A banda prosseguiu, a festa foi louca até às sete e meia da tarde.
Procuraram Master peidik. Tinha desaparecido.
Dois dias se tinham passado de Master peidik nada sabiam.
Uma semana.
Três meses.
Anos.
Até hoje ninguém sabe do paradeiro de Master peidik.
Alguns rumores chegavam à aldeia que diziam que ele tinha sido visto em Praga, depois em Cinfães logo a seguir no Congo e por ai fora.
Master peidik sumiu.
A lenda ficou.
O cheiro nunca mais bazou.
Todos os anos se recorda Master peidik, na festa com muito feijão, grão-de-bico e água.
Master peidik anda por ai.
Master peidik vai aparecer.
Onde?
Onde o peido dele for mesmo preciso. Master peidik vai lá estar. Pronto. Firme. Como um ciso.

(not to be continued..)

9 comentários:

tronxa disse...

Esse gajo devia ter o "Mestrado em Ateador de Lareiras e Fogareiros" das novas oportunidades!! E mais tarde doutorou-se em Fogos de Artifício...

Mas é a tristeza do costume, Portugal forma-os, e eles depois abandonam o país...

Onde andará ele a praticar a sua profissão, para a qual tão bem preparado foi, pelos melhores peidorreiros nacionais??!!

Vai dando notícias dele..

Bjnhssss

Bernardo Moura disse...

Pois devia. Mas não teve.

Darei notícias dele.

Maldonado disse...

Está engraçada esta história! O que me ri com ela! :))

Bernardo Moura disse...

Ainda bem!

Ab

Andreia Vilhena disse...

Eu tenho para mim que conheço esse gajo...


LOL


bjo

Bernardo Moura disse...

Onde bisteli-o?

tronxa disse...

conheces alguem k tenha um iskeiro bic verde, andreia???

(a desconfiar...)

bjnhsss

Horushu disse...

Uma história muito bem contada, de um grande realismo e um tipo sai de lá a desejar que o Master Peidik esteja tudo bem com ele!

Bernardo Moura disse...

eheheheh
Ca fixe!

LOL

Abraços