terça-feira, agosto 14, 2007

Ser..


Será muito monótono levar uma vida calma? Passar alguns dias sem chatices? Sem que as pessoas descarreguem as suas angústias em cima dos outros?
Eu levo uma vida calma. Eu passo dias sem chatear as pessoas e sem lhes atirar com as minhas angústias.
Porque é que será que os outros pensam que têm esse direito? De me, te chatear?
A vida é simples, nós é que a complicamos.
Discutimos por tudo e por nada. Não pode haver paz?
Não será bom ter paz?
Eu acho óptimo!
Quando acordo estou sempre mal disposto, contudo evito falar com as pessoas para não as magoar.
Em determinadas alturas do dia também posso estar mal disposto e tento, novamente, não descarregar sobre os outros.
Porque é que o fazem a mim?
Porque é que as pessoas que vêm comprar coisas na minha loja me tratam logo como um inimigo e criado? Qual é a necessidade? Eu quando vou a algum lado jamais trato as pessoas que me atendem mal. Porque é que haveria de as tratar mal?
Terei cara de saco para levar murros?
A sociedade está cruel.
Sabe-se que se houver alguma catástrofe ou um jogo de futebol que as pessoas se unem e sorriem. É sorriem! Porque é que não sorriem nas outras alturas? Alguém lhes vai bater por esboçar um sorriso. Por dizer uma frase simpática? Eu não.
Deixem de perder tempo.
Deixem de manter uma pose defensiva.
Deixem-se ser.
Apenas ser!

16 comentários:

Miss Alcor disse...

Realmente... não há nada como viver a nossa vidinha em paz e sossego.
Sabes que ando sempre com o telemóvel em silêncio... normalmente quando me ligam é para me aborrecerem com cenas. Nunca me ligam, mas quando o fazem conseguem chatear!
Haja pachorra!

Bernardo Moura disse...

É do caraças!
Enfim..

Anónimo disse...

Pois é meu amigo , a VIDA REAL de cada um é mesmo do caraças.
O de alguém estar a pensar que o POVO anda de cara sisuda é porque gosta, aqui destes o exemplo que ainda existe clientes que nem ao MENINO JESUS o iam beijar o cú.
Mas vá lá SORRI, estamos numa BOA.
Amanhã é feriádo.
touaqui42

RIC disse...

Nunca foi fácil atender público a um balcão. Sei-o desde os idos de setenta. Mas sei também por experiência que hoje em dia é muitíssimo mais difícil... E tudo passa, novamente, pelo pouco respeito pelo outro e pela muita falta de educação. Pensar que quem nos atende é um criado para levar connosco em cima é... ser ordinário!
Estou contigo!
Abraço! :-)

Bia disse...

Belo post! Tens toda a razão... a maioria das pessoas está sempre pronta a desferir um golpe, sempre mal dispostas e más...

gasolina disse...

É mesmo!
Sei o que sentes.
Já atendi publico e levava com tudo: desde o assunto ao que vinham até ao facto de não terem um lugar perto para estacionar. Primeiro só querem descarregar o fel e depois é que se lembram do assunto... mas tambéma parendi que um sorriso e uma voz extremamente baixa "desmonta" qualquer mau humor.

beijinho para ti.

Bernardo Moura disse...

Caro Touaqui42,
eu sorri e sempre sorrirei!
:)

Bernardo Moura disse...

Caro Ric,
obrigado!
Ab

Bernardo Moura disse...

Querida Bia,
pois é. As pessoas tem de mudar.
Bj

Bernardo Moura disse...

Querida gasolina,
é esse o truque!:)
Bj

Maria Porto disse...

Infelizmente há e haverá sempre pessoal assim.
O melhor a fazer é ser estupidamente simpático com essas pessoas, exageradamente mesmo, se preciso fôr. Talvez isso lhes alegre o dia e percebam a estupidez que é tratar toda a gente como se o mundo fosse culpado das suas m*erdas.

Besos

Bernardo Moura disse...

Querida Maria Porto,
é o que eu faço. Mas deves calcular que há dias dificeis, eu também tenho os meus problemas e estar constantemente a comer sapos nunca foi o meu genero. Contudo, lá os vou comendo.
Um exemplo recente é o de uma cliente que mora no mesmo prédio da minha loja que lá chegou para carregar o tlm e disse de lata e do nada que só lá foi porque precisava mesmo, eu sorri. Quando lhe fui dar o troco ela começou a resmungar que eram muitas moedas, sorri e pedi licença para aguardar, fui ao café ao lado e troquei por notas. Ontem entrou na loja com um sorriso de orelha a orelha.
É a vida!
Besos

pinguim disse...

As pessoas andam de mal com a vida, e vão passando essa má disposição, como se fosse uma corrente...
Num contacto com o público, isso torna-se muito mais perceptível.

r.porter disse...

Olá Bernardo,
compreendo porque sinto o mesmo na pele.
Acrescento ainda que o simples bom dia é dificil de lhes arrancar e que a maioria das pessoas pensam que se estamos ao balcão é porque não temos inteligência para fazer mais nada, sempre que o mau humor lhes permite, passam-nos atestados de estupidez.
Não tenho a mania da perseguição mas por vezes dá-me a sensação que saem à rua para implicar com os outros.Existem vidas muito deprimentes.
Por vezes apetece-me mandá-los apanhar morangos...mas com cuidado não vão cair do morangueiro!:)

Continua a tentativa de passar a mensagem:
Respeito!
ainda hoje em conversa com o Ric concluímos que mais depressa estas pobres almas aprendiam latim do que a respeitar-se uns aos outros.
Beijinhos

Bernardo Moura disse...

Caro pinguim,
sem dúvida alguma.
Mas porquê? Eu pergunto-me muito. Tudo bem que as pessoas passam por situações complicadas e têm diversos problemas, todos temos. O que não temos é o direito de "descarregar" sobre os outros.
Ab

Bernardo Moura disse...

Querida r.porter,
exactamente. Grande parte das pessoas passa a tratar-me de forma diferente quando percebe que eu sou o proprietario e não o empregado, fantástico não é? Se for só empregado pode ser espezinhado?
Neste momento sinto um pouco de vergonha em relação ao comportamento dos meus compatriotas. Imaginem as figuras que devem fazer noutros paises como turistas? Bom, eu sei como é já assisti a cada tristeza que só me apetecia falar noutra lingua para não me enfiarem no mesmo pote. O que me deixa mesmo triste. Temos tudo para que a sociedade portuguesa seja educada, bem formada mas parece que existe unica e simplesmente uma grande falta de vontade de .. "Ser.." !
Bj