domingo, agosto 19, 2007

POEMA! (?)



Ouço uma flauta longe.
O som ecoa pelo vale.
O sol está baixo,
Mas o calor ainda aperta.
Paro,
Apenas escuto o som ondulado da flauta.
Nada me incomoda.
Estou bem.
Olho em frente
E um pássaro dança ao som da flauta.
Começo a caminhar devagar.
Tento seguir o som.
Quero ver quem a está a tocar.
Ando e ando.
Estranhamente,
O som vai mantendo a mesma distância.
Parei.
Olho para todos os lados e penso.
"Vou-me deixar estar!"

4 comentários:

RIC disse...

É estranho, mas é verdade: nem sempre é bom encontrarmos o que procuramos...
Abraço! :-)

Bernardo Moura disse...

Exactamente!
:)

GMaciel disse...

Eu nem sei o que te diga, Bernardo. Li, reli e deixei-me levar pela tua poesia. É como o Ric diz, nem sempre é bom encontrarmos o que procuramos, e tu disseste isso mesmo com grande maestria.
Parabéns, estás excelente no jogo das palavras e emoções.
:)

Bernardo Moura disse...

Vindo de ti nem sei que diga!
Obrigado!
:)
Bjs