quarta-feira, junho 06, 2007

POEMA


O poeta é ladrão.
Rouba as ideias
À sua razão.
Na sua mente
Deambulam ideias
Que ele rouba
E escreve-as num
Papel qualquer,
Para alguém ler.
Inspira-se de outras mentes.
É um ladrão,
Filho de boas gentes.

5 comentários:

RIC disse...

«O poeta é um ladrão.
Rouba tão completamnte
Que chega a roubar o roubo
Ao ladrão que o roubou.»

Mais ou menos... Quis armar-me em engraçado à moda de Pessoa...
Abraço! :-)

Miss Alcor disse...

Que lindo!
Parece o grande Pessoa!

Bernardo Moura disse...

Acham?
Fico sem jeito!
Abraços e beijos

GMaciel disse...

Ena, deixaste-me de queixo caído, Bernardo.
Excelente ideia brilhantemente concretizada em poema.
Opa, tenho concorrência! (ainda bem)
;)
:)

Bernardo Moura disse...

Querida Graça,
achas?
Nem de perto nem de longe.
Beijos