segunda-feira, junho 18, 2007

CONVERSAS COM... RICARDO ROCHA (1ªParte)



Eu: então
Eu: tá tudo?
Ricardo Rocha: ta tudo...
Eu: estás com tempo?
Ricardo Rocha: pouco porque a minha esposa já está a fazer pressão para vir para aqui...
Eu: humm..
Eu: bem
Ricardo Rocha: o portátil é dela por isso estou em desvantagem..
Eu: coisas da vida
Ricardo Rocha: pois..
Eu: lol
Eu: posso fazer-te algumas perguntas então?
Ricardo Rocha: claro...
Eu: conheci-te quando jogavas no Famalicão, nessa altura já tinhas decidido tornar-te jogador de futebol profissional, quando é que decidiste: “é isto que quero fazer!”?
Ricardo Rocha: sempre tive essa ambição desde miúdo mas obviamente quase todos os miúdos tem esse desejo e essa vontade desde pequenos, agora conseguir lá chegar é algo extremamente difícil e é preciso muita, muita sorte..
Eu: sim
Eu: e essa sorte surgiu onde?
Ricardo Rocha: essa sorte foi surgindo sempre porque jogava num clube chamado "arca" que ninguém conhece e daí fui para o Famalicão, um clube da 2 divisão B. Depois fui para a equipa B do Braga onde depois tive a sorte de um dos centrais da equipa principal ser castigado, o outro lesionar-se e eu ser a única hipótese para jogar, obviamente o treinador teria a hipótese de pôr um médio mas optou por mim..
Eu: e foi a partir daí que deste o "salto". O que é que sentiste no teu primeiro jogo oficial na primeira liga?
Ricardo Rocha: no futebol há um ditado muito conhecido, "é fácil chegar ao topo, difícil é, conseguir manter".. e corresponde realmente a realidade.. estava muito nervoso e sabia que aquele jogo era muito importante para o futuro da minha carreira no futebol de alto nível e por isso, concentrei-me ao máximo durante essa semana sabendo que era a oportunidade da minha vida e que por nada no mundo poderia desperdiçar..
Eu: e não desperdiças-te! Quando te falaram na hipótese de seres jogador do Benfica, o que sentiste? Aceitaste facilmente? Houve muitas negociações? Descreve-me em curtas palavras, se não te importares.
Ricardo Rocha: fui apanhado despercebido e quando me disseram foi na altura que me tive de deslocar ao escritório do presidente do Braga para assinar pelo Benfica. Obviamente era um sonho tornado realidade por ser benfiquista e por ser um clube onde toda a gente sonha jogar. Ainda tive de ficar 6 meses em Braga porque só deixaram sair o Tiago e o Armando mas o mais importante já estava feito..
Ricardo Rocha: o mais curto possível!!! lol
Eu: lol
Eu: e o primeiro jogo com a camisola do Benfica?
Ricardo Rocha: o primeiro foi num particular no final da época porque fui fazer uma digressão com eles mas o que senti mais foi o primeiro jogo do campeonato em que demonstrei todo o meu valor e como as pessoas não tinham a noção daquilo que era ficaram impressionadas e apoiaram-me imenso, foi fantástico..
Eu: durante a evolução "rápida" da tua carreira, como é que a tua família geriu o facto de te tornares uma pessoa conhecida? No que me toca vi que não mudaste nada, mantiveste a humildade e a forma natural de viver em sociedade. Coisa rara nas pessoas que passam a ser conhecidas pelo grande público.
Ricardo Rocha: eu não mudei absolutamente nada, continuei a ser sempre o mesmo e a falar com toda a gente como sempre o fiz. Obviamente havia sempre quem dissesse que fiquei com a mania que era estrela mas foi algo que tenho plena consciência e não aconteceu nem ira acontecer. Quanto a minha família foi difícil porque somos reconhecidos em todo o lado mas tiveram de se habituar a ideia e hoje em dia convivem bem com isso..
Eu: sentes por vezes algum cansaço da popularidade? Quando passeias com a tua esposa e filhos e és constantemente abordado
Ricardo Rocha: sim porque não tens privacidade e és abordado em todo o lado.. pensei que com a mudança para Inglaterra as coisas iam mudar mas continuo a ser abordado tanto em Portugal como por lá..
Eu: pois sabes bem melhor que eu que o facto de já teres representado a selecção nacional te elevou a um patamar ainda maior.
Eu: como é que te sentiste quando foste convocado?
Ricardo Rocha: selecção? Foi sempre um sonho e graças a Deus consegui concretizar. Lembro-me quando era miúdo aprender o hino e dizer a minha mãe que o estava a fazer porque um dia precisaria de saber a letra para cantar num jogo da selecção, é um honra e um orgulho ter conseguido lá chegar e representar as cores do meu pais...
Eu: é engraçada essa história
Ricardo Rocha: e verdadeira por incrível que pareça..
Eu: sim
Eu: por isso é que considero "engraçada"
Eu: deve ser mesmo um
Eu: orgulho pessoal
Eu: atingir
Ricardo Rocha: enorme..
Eu: o objectivo
Eu: de miúdo

7 comentários:

Anónimo disse...

Estou a curtir a entrevista, Bernardo. Bota aí a continuação! Grande Ricky!

Abraços,

José Manuel

Bernardo Moura disse...

Grande Zé,
vou colocando!
Abraços

António Sabão disse...

Muito bem! Para quando um gajo do FCP?
Abraço

Bernardo Moura disse...

Quem sabe?

Capitão Merda disse...

É benfiquista, Bernardo?

Bernardo Moura disse...

EUE? FÔDA-SE! Ó CAPITOM! O RICARDO ROCHA É UM GRANDE AMIGO. MAS EU SÔ DO F.C.P, CARALHO!

Capitão Merda disse...

Então está perdoado! :)
Se é amigo do Ricardo mande-lhe um abraço da minha parte. É um bom jogador... apesar de ter jogado no Benfica...
E veja lá se me deixa ganhar o próximo campeonato