quarta-feira, junho 20, 2007

O TONTO E A LUA



"Como se sabe, em tempos que já lá vão era costume matar-se o mensageiro quando ele era portador de más notícias, pelo que se imagina facilmente a aflição dos desgraçados a quem incumbia tão ingrata tarefa.

Na realidade, ainda hoje esse fenómeno é frequente, e de tal forma o é, que a expressão «síndrome do mensageiro», que surgiu por causa dele, continua a ser usada mais vezes do que seria desejável numa sociedade sã.

Um corolário dessa aberração consiste em odiar (actualmente, há uma versão chamada "processar"...) quem aponta as realidades que não agradam. Para os imbecis que a praticam, os chineses criaram o provérbio «Quando alguém aponta para a Lua, o idiota fica a olhar para o dedo». "

C. Medina Ribeiro

6 comentários:

gasolina disse...

Olá Bernardo,

De facto estamos assustadoramente a caminhar para a perseguição e para a mania da perseguição. Isto só demonstra quão frágil é a cultura deste País, começando pelos líderes politicos. Informação é poder e à custa de um lugar no poleiro e falta de outros recursos para o debate, começamos a assistir a actos de ignorância, como seja calar quem faz "barulho".
Apetece-me aqui acrescentar ao teu "don't kill the messanger", o "Rei vai nu"...

Deixo-te um beijo.
Grata pela tua visita.

Bernardo Moura disse...

Obrigado pelas tuas palavras!
Volta sempre!
Bjs

Ógnito Inc. disse...

Uma bela citação tão a propósito do assunto na ordem do dia entre os bloggers...

Miss Alcor disse...

Grande verdade!
Grande verdade mesmo!

Já nem se pode falar! Bolas!

Bernardo Moura disse...

Querida Miss Alcor,
ai pode pode!
bj.

Carlos Medina Ribeiro disse...

Este texto veio a ser publicado no «Público», em 23 Jun 07, com o título «O mensageiro, o idiota e a Lua», e tendo no fim a seguinte frase:

«E mais não digo, pois os tempos estão a ficar perigosos...»