quinta-feira, junho 14, 2007

Estou pasmo


Estou atónito.
Como é que é possível o Vaticano virar as costas à Amnistia Internacional, a maior organização mundial de ajuda aos mais carenciados?
Não consigo compreender.
Considero que o Vaticano está a tomar uma posição extremamente grave.
Posso concluir que quem está no Vaticano está longe de perceber a realidade deste mundo ao tomar tal posição.
Não quero ofender de forma alguma os católicos nem ninguém do Vaticano, quero sim apenas contribuir para uma “abertura de olhos” que parece necessária.
Não sei porque é que se formou este ataque, espero que este apelo do Vaticano seja corrigido e que seja feito um pedido de desculpas à Amnistia Internacional.

9 comentários:

Canochinha disse...

Bernardo, o Vaticano sustenta esta posição com um apoio da AI à causa do aborto. Verdade ou não, o que é certo é que a Igreja se distancia cada vez mais do mundo real! Sinceramente, já não tenho pachorra para tanta hipocrisia.

Capitão Merda disse...

E desde quando o Vaticano ajudou alguém?

Bernardo Moura disse...

Querida canochinha,
concordo com o que dizes totalmente.
Beijo

Bernardo Moura disse...

Caro Capitão,
o Vaticano realmente nunca ajudou ninguém, mas existem algumas associações católicas que estão no "campo" e fazem muito. Repito o Vaticano não.
Abraço

lino disse...

Há 41 anos(14 de Junho de 1966)foi oficialmente extinto o Index Librorum Prohibitorum, após mais de 400 anos de vigência e uma lista de mais de 4000 interdições. Parece que, para compensar, vai ser criado o Index ONG Proibitorum.

Capitão Merda disse...

Tenho de concordar com o que me diz, Bernardo...

Bernardo Moura disse...

Caro Lino,
o que é muito mau.

pinguim disse...

A Igreja, com medidas como esta, está a fazer exactamente o inverso do que deveria para chamar gente pata o seu seio, mas de certa forma, está a ser coerente com toda a expectativa negativa à volta de uma figura tão conservadora como é Bento XVI.
Continuar a insistir em pontos como a defesa intransigente da proibição do aborto, da não aceitação do preservativo, da não aceitação da homossexualidade, quando é na própria Igreja que ela se torna tão condenável, via pedofilia, são demasiadas tomadas de posição, que a penalizam e a desacreditam.

Bernardo Moura disse...

Caro pinguim,
concordo plenamente.
Abraço