sexta-feira, outubro 10, 2008

POST ABERTO


ESPAÇO ABERTO!

VALE TUDO!

MENOS PONTAPÉS NOS T..!:)

20 comentários:

stériuéré disse...

Andava eu pelas ruas do sul ( mesmo lá ao lado) quando reparei no relógio e já eram 5 e tal certinhas. Tentei subir num escadote pa cima , mas afinal só dava pa descer. Enfim, estava no sul e não no norte.
Continuando...
Espreitei por uma janela meia cerrada meia aberta, e qual não foi o meu espanto , quando vi que um gajo que lá estava deitado numa cama de metal ( á intiga e tal) foi pa acordar e acordou morto ( xiça). Assustada tentei ligar ao inem ( inteligência nacional em decomposição) e zangados responderam:
"Mas olhe cá, afinal acordou vivo ou morto?
E eu disse, sei lá , o gajo não me respondeu!"

Henrique ANTUNES FERREIRA disse...

Olá Nádegas ao léu!

Cá estamos. Desta vez, creio que sem problemas. Mas, quem sabe? Tive um ror de chatices com o Google, o Gmail, uma data de porras! Mas, aparentemente os imbróglios estão ultrapassados. Assim seja. De qualquer forma – mudei tudo uma vez mais. Por isso, regista, por favor:

hantferreira@gmail.com

www.aminhatravessadoferreira.blogspot.com

Espero que seja esta a versão definitiva deste meu (e teu) blogue. Já bastou o que bastou. Apenas deixo aqui um propósito: continuar o que já tinha(mos) feito e, da minha parte, tudo fazer para que ele seja ainda melhor do que os anteriores, «mortos em combate»…

Vem aqui, como já o fizeste nos dois outros «definitivelmente» falecidos na generalidade e na especialidade (RIP). Deixa comentários, escreve, colabora, manda fotos – insulta-me se assim o entenderes. Os gordos têm costas largas… Fico à tua espera, com esperança qb e uma pitada de ansiedade. Sal & pimenta & coentros à vontade do freguês. Bem-vindo

@@@@@@@@@@

…E ATENÇÃO!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

NOVO CONCURSO

… E QUANTO A VOLUMES

Gente boa*

Aqui está um novo concurso, o primeiro deste blogue. Herança do falecidos anteriores (RIP), é mais uma iniciativa do Sorumbático (http://sorumbatico.blogspot.com), agora acompanhado pelo A Minha Travessa do Ferreira (http://aminhatravessadoferreira.blogspot.com). Este passatempo tem como prémio um exemplar do livro cuja capa e contracapa aqui se vêem.

O desafio consiste em, até às 24:00 horas do dia 14 (terça-feira), tentar adivinhar qual o volume do livro (em centímetros cúbicos).

NOTA: a obra faz parte de uma oferta da editora Occidentalis ao Sorumbático, onde dois exemplares já foram sorteados; este é o 3.º, e é reencaminhado para aqui.

______
*Desculpa-me se me enganei…

Anónimo disse...

Recebi este IMAGINE.






Imaginem
00h30m
Imaginem que todos os gestores públicos das setenta e sete empresas do Estado decidiam voluntariamente
baixar os seus vencimentos e prémios em dez por cento. Imaginem que decidiam fazer isso independentemente dos resultados.
Se os resultados fossem bons as reduções contribuíam para a produtividade. Se fossem maus ajudavam em muito na recuperação.
Imaginem que os gestores públicos optavam por carros dez por cento mais baratos e que reduziam as suas dotações de combustível
em dez por cento.
Imaginem que as suas despesas de representação diminuíam dez por cento também. Que retiravam dez por cento ao que debitam regularmente nos cartões de crédito das empresas. Imaginem ainda que os carros pagos pelo Estado para funções do Estado tinham ESTADO escrito na porta. Imaginem que só eram usados em funções do Estado.
Imaginem que dispensavam dez por cento dos assessores e consultores e passavam a utilizar a prata da casa para o serviço público. Imaginem que gastavam dez por cento menos em pacotes de rescisão para quem trabalha e não se quer reformar. Imaginem que os gestores públicos do passado, que são os pensionistas milionários do presente, se inspiravam nisto e aceitavam uma redução de dez por cento nas suas pensões. Em todas as suas pensões. Eles acumulam várias. Não era nada de muito dramático. Ainda ficavam, todos, muito acima dos mil contos por mês.
Imaginem que o faziam, por ética ou por vergonha. Imaginem que o faziam por consciência. Imaginem o efeito que isto teria no défice das contas públicas. Imaginem os postos de trabalho que se mantinham e os que se criavam. Imaginem os lugares a aumentar nas faculdades, nas escolas, nas creches e nos lares. Imaginem este dinheiro a ser usado em tribunais para reduzir dez por cento o tempo de espera por uma sentença. Ou no posto de saúde para esperarmos menos dez por cento do tempo por uma consulta ou por uma operação às cataratas.
Imaginem remédios dez por cento mais baratos. Imaginem dentistas incluídos no serviço nacional de saúde. Imaginem a segurança que os municípios podiam comprar com esses dinheiros. Imaginem uma Polícia dez por cento mais bem paga, dez por cento mais bem equipada e mais motivada. Imaginem as pensões que se podiam actualizar. Imaginem todo esse dinheiro bem gerido. Imaginem IRC, IRS e IVA a descerem dez por cento também e a economia a soltar-se à velocidade de mais dez por cento em fábricas, lojas, ateliers, teatros, cinemas, estúdios, cafés, restaurantes e jardins.
Imaginem que o inédito acto de gestão de Fernando Pinto, da TAP, de baixar dez por cento as remunerações do seu Conselho de Administração nesta altura de crise na TAP, no país e no Mundo é seguido pelas outras setenta e sete empresas públicas em Portugal. Imaginem que a histórica decisão de Fernando Pinto de reduzir em dez por cento os prémios de gestão, independentemente dos resultados serem bons ou maus, é seguida pelas outras empresas públicas.
Imaginem que é seguida por aquelas que distribuem prémios quando dão prejuízo. Imaginem que país podíamos ser se o fizéssemos. Imaginem que país seremos se não o fizermos.

De Mário Crespo.

touaqui42

Maria Porto disse...

Aviso: anedota contém linguagem imprópria.

Em pleno acto sexual diz o rapaz:
- "Tens uma rata muita grande!
- Tens uma rata muita grande!"

e responde a rapariga:
- "Porque é que te repetiste?"

rapaz: - "eu não me repeti..."

Maria Porto disse...

P: O que acontece quando metes um tomate no microondas?



R: Trilhas o outro!

Maria Porto disse...

"certo dia ia um homem perdido num deserto, já desidratado e desiludido, quando encontra uma pistola no chão. Num acto de desespero manda um tiro para o ar. Com isto cai um queijo do céu. Espantado com tal sucedido, decide repetir o tiro p'ró ar, e cai outro queijo."

Moral da história: "Poom, poom, queijo, queijo!"

Maria Porto disse...

Resposta a um inquérito a 850.000 habitantes em Portugal:

Você pensa que existem demasiados imigrantes em Portugal?

20% - Sim
13% - Não
67% - Oi?

Maria Porto disse...

Um homem passa pela sua colega de escritório e diz que o cabelo dela cheira muito bem. A mulher vai, imediatamente, ao gabinete do chefe e diz que quer fazer uma queixa de assédio sexual. O gerente fica admirado e diz: - Qual é o mal deum colega lhe dizer que o seu cabelo cheira bem ? A mulher responde: - É que ele é anão !!!

Armindo Guimarães disse...

eheheheh

As anedotas da Porto estão do baril.

Aquela do anão é a maior!

Abraços

Bernardo Moura disse...

Caro Armindo,
a morada para te enviar o livro?
Abraço

cassamia disse...

doi-me a cabeça e tou com uma ressaca maior que eu... nunca mais bebo tanto!

Bernardo Moura disse...

Acho que sim. Tens de ter "cuidado".
Fica bem!
Bjs

Armindo Guimarães disse...

Caro Bernardo:

Já mandei prá'í 4 mensagens para o e-mail que estava anunciado no post, ou seja:

medinamoura@gmail.com

A não ser que esteja incorrecto.

Grande abraço!

Bernardo Moura disse...

Caro Armindo,
já está resolvido.

Ab

Rafeiro Perfumado disse...

Um homem no seu leito de morte vira-se para a mulher:
- Etelvina, agora que me estou a ir, diz-me uma coisa. Dos nossos seis filhos o mais novo é diferente de todos, não é?
(chorando)- Sim, Anacleto, é!
- Então diz-me, por favor,quem é o pai?
- ó Anacleto, és tu!

Bernardo Moura disse...

eheheheheh
porreira!
:)

Bernardo Moura disse...

Durante o período do Ramadão senta-se junto a um alentejano, no voo Lisboa - Funchal, um muçulmano.

Quando o avião descola começam a servir as bebidas aos passageiros.
O alentejano pede um tinto de Borba.
A hospedeira pergunta ao muçulmano se quer beber alguma coisa.
Responde o muçulmano com ar ofendido:

'-Prefiro ser raptado e violado selvaticamente por uma dezena de putas da Babilónia antes que uma gota de álcool toque os meus lábios.'
O alentejano engasgando-se, devolve o copo de tinto à hospedeira e diz:

'Eu também, eu também. Não sabia que se podia escolher.'

miriamdomar disse...

Este post aberto, tá do melhor! Adorei as anedotas e o Imaginem!
Bom Humor e Cultura ,sempre juntos, fazem uma parelha fantástica!
Bjs

Bernardo Moura disse...

Concordo a 1000% .
:)

Bjs

Bernardo Moura disse...

A escola vai receber a visita do ministro da educação e a professora está
preocupadíssima com o Joãozinho, que é sempre o desbocado. - Joãozinho,
atenção. Não me vais envergonhar na presença do senhor ministro, está bem? É
melhor ficares de boca fechada.- Tá bem, professora! - diz ele. O ministro
chega à sala e conversa com os alunos.Pergunta se já sabem ler, se gostam da
professora, etc e tal.Dirigindo-se ao Joãozinho, diz:- E tu, já lês bem?-
Leio
sim, senhor.- E qual é a palavra mais bonita que aprendeste até hoje? A
professora gela, mas o Joãozinho responde:- Cubanos. Ela respira, aliviada.O
ministro insiste então:- E por quê?- Porque começa em CÚ e acaba em ÂNUS. E
ninguém me tira da cabeça que esse B do meio é de BROCHE.