terça-feira, julho 22, 2008

PU EMA


Deitado num sitio qualquer,
Olho para o nada e para tudo.
Penso em tudo e nada.
Tudo o que vou vendo, não vou gravando.
Não sei se passou uma ou trezentas aves.
Não sei se passaram dois ou mil aviões.
Não me interessava,
Simplesmente não me interessou, naquele dia.
Durante horas mantive-me assim.
Sentia-me bem,
Assim fiquei.
Horas mais tarde levantei-me.
Comecei a caminhar devagar
E a observar o que me rodeava.
Um súbito interesse tive por tudo,
Ao pequeno pormenor.
Observei as ervas,
As pessoas,
O céu,
Senti o calor do Sol.
Parecia que tinha acordado de um longo sono.
Todos os cheiros eram-me agradáveis.
Ouvi risos ao longe e sorri.
Caminhei pelo trilho
Que já foi calcado por milhares de pessoas.
Umas que pensaram no que eu pensava.
Outras que por lá passaram com pressa.
Tantas pessoas haviam feito aquele trilho,
A sentir e a pensar em assuntos tão diferentes.
Um simples trilho que deve já ter ouvido muitos desabafos.
Que deve ter assistido a tantas
Ou mesmo todas as manifestações
Do Ser humano.
Se esse trilho falasse?
(Comentário: o "PU EMA" é uma bosta. É, porque o é. A imagem é bonita!)

5 comentários:

Bernardo Moura disse...

Ainda ninguém comentou esta bosta. Eu só estou a escrever este comentário para iniciar a sessão do blog.

António Sabão disse...

Belo Cu Ema! LOL

miriamdomar disse...

Outro pueta?
Tou admirada!
Belo puema!
Vê lá por onde andas !
Esse trilho, parece-me no meio do bosque !
Se ele falasse ,era capaz de perguntar;
Agora deu-te, para seres lobo mau?
ehehehehehhe;))
Bjs

Bernardo Moura disse...

Ó Sabão? Quem é a Ema que tem um bom Cu? Diz-me lá!
:)
Ab

Bernardo Moura disse...

Querida Miriamdomar,
eu? Lobo mau? Sou um cordeirinho! :-)
LOL
Bjs