segunda-feira, julho 07, 2008

POEMA



Levei uma chapada do vento
Cai no chão desamparado.
Levantei-me, com fúria.
Gritei:
- Pensas que me voltas a derrobar, caralho!
Continuei a caminhar
Cambaliante com as chapadas do vento
Mas continuei
Ao longo do trajecto
Galhos, folhas e pequenos objectos atingiam-me
Sacudia-os com força
Nada me podia deter
Andei, andei
O esforço era imenso
Nunca hesitei
Do nada,
O vento fugiu
Dei um impulso grande para a frente
Caminhava sem esforço
Conseguia finalmente olhar para outros lados
Não precisava de me concentrar só no caminho
Dei por mim a disfrutar da paisagem como nunca o tinha feito
Senti-me feliz
Solto, viril como nunca
Gritei:
- Consegui e continuarei!

6 comentários:

xico man disse...

mUITO BOM bERNARDO eSCREVES MUITO BEM!!!!!!!!

Bernardo Moura disse...

Obrigado!
:)
Ab

Miriamdomar disse...

Xiiiii! Com tanto bento só pode ser nortada, aonde é que tu estabas ?Não lebaste com nada na moina? rsrsrrsrsrrsrs:))

Bernardo Moura disse...

eheheheheh...
:)

Anónimo disse...

Á carago, mesmo com a ventania sempre em frente
touaqui42

Bernardo Moura disse...

Tem que ser!