segunda-feira, abril 02, 2007

Há dias....



Há dias assim.

Há dias que não são assim, são piores, são melhores, muito melhores, fantásticos e uma valente merda.

São infinitas as formas como podemos definir um dia, como o passamos as experiências por que passamos e as emoções que assimilamos.

Grande parte dos dias as pessoas definem-nos como normais, igual a ontem, a rotina de sempre, a merda do costume. Outros dias são definidos como, foi um espectáculo, uma delícia, finalmente respirei, ganhei forças, foi mesmo bom e por aí fora.

Porque é que todos os dias não são assim?

Porque é que maior parte dos dias são rotineiros? Fotocopias uns dos outros? Porquê? Que chatice.

Os dias não são todos iguais, disso podem ter 100% de certeza.

Não existem dias em que não se sinta uma pequena alegria. É verdade. Só que por vezes estamos tão concentrados no nosso mal-estar que nem nos apercebemos dos segundos, minutos e horas que estamos a sentirmo-nos bem, ou normais, nembem nem mal.

Todos nós temos a tendência para dar ênfase ao que nos corre mal, analisamos os porquês todos e mais alguns.

Chega.

Eu fartei-me.

Sei que vou ter dias de merda e tenho dias de merda, nada posso fazer. O que eu posso fazer, sim, é tentar moldar os meus dias para que sejam mais agradáveis.Não é fácil, longe disso. Muitas, muitas vezes não consigo, oh! Quantas vezes. Mas tento e tento e tento e tento. E resulta. Acabo por me aperceber que resulta, faço um "rewind" do dia e apercebo-me que até foi muito melhor do que eu esperava.

Acima de tudo faço por me rir. Não estou à espera que algo me faça rir,procuro, procuro e acho. Bem, quase sempre mas já é muito bom.


O ser humano quer sempre mais e mais e mais, é-lhe natural. Tem de se dominadar, como se domina com todos os outros instintos. O saber e descobrir o auto domínio é fundamental para nos sentirmos equilibrados.

A vida tem de ter de tudo para que seja bem apreciada, não falo de oitos nem oitentas. Falo do dia-a-dia. Para um fim-de-semana saber bem é porque trabalhamos durante a semana, para umas férias saberem bem é porque trabalhamos para necessitar delas, a alegria de ter um carro, casa ou outro bem material vem pelo esforço da conquista.

Viver é bom!

Eu estou a aprender a viver.

Viva a vida!

(acabei de escrever este texto, se tiver erros desculpem é que nem reli)

7 comentários:

Mário Lima disse...

Boa tarde.
Boa narrativa!
Mas parece que está num dia mau, será por ser 2º-feira?
Uma boa semana.
Um abraço.

amil

lino disse...

Eu gostei!

Bernardo Moura disse...

Caro Mário Lima,
pelo contrário estou num dia bom.
Apeteceu-me escrever sobre este tema porque simplesmente, me apeteceu.

Caro Lino,
Obrigado!

filipa disse...

Este texto vem a provar que não é só nos dias maus que vem a inspiração! Bom texto, gostei!

Bernardo Moura disse...

Cara Filipa,
Obrigado!

GMaciel disse...

Como já disse no inflorescências, adorei este texto.
Dizes tudo, Bernardo, e acabas por nos fazer ver uma verdade que esquecemos todos os dias: que a felicidade é um estado de espírito que está na nossa mão encontrar.
Quero ler mais, assim, em prosa, ou em poema.
jocas grandes

Bernardo Moura disse...

Querida Graça,
Obrigado!
Bjs.