domingo, outubro 28, 2007

PENSANDO



Uma pedra vem disparada pela colina abaixo.
Ele vê a pedra.
Ainda vem longe.
Pensa como actuar.
Sabe como actuar,
Mas não actua logo.
Algo o prende.
Algo o faz observar a pedra a rolar,
Na direcção dele.
Para ele,
Parecia que estava a rolar fora de tempo,
Do tempo normal.
Rolava mais devagar do que deveria.
Ela tinha de vir mais rápido.
O que se passara?
Parecia que a gravidade aparecia e desaparecia.
De repente,
a gravidade manteve-se.
Num breve instante,
Com um breve movimento,
Ele desvia-se um pouco,
Sente a força do volume no ar.
A pedra aterra a seu lado.
Olhou para ela,
Sentou-se e ficou a pensar:
"Que estranha forma de rolar!"
*algumas vidas "rolam" assim

4 comentários:

Paulo disse...

Olá!
Gostaria que aceitasses este desafio. Se quiseres participar, é só deixar um comentário.
Obrigado :)

Sarracenia purpurea disse...

Hmm, está muito interessantes este poema. Gostei :)
Beijos

Anónimo disse...

Deixas a pensar sériamente na VIDA.
Por vezes deixamos passar oportunidades que já não voltam mais.
Coisas da VIDA carago.
Quem não arrisca não petisca.
Ás vezes o pedregulho estraga a vida de quem pensa que a VIDA está numa BOA.
Sequências da VIDA óh PÁ.
(aprendi esta com o PM)
touaqui42

Bernardo Moura disse...

Não podemos deixar fugir a VIDA!