sexta-feira, maio 25, 2007

Triste



“Crianças: Conselho da Europa condena Portugal por acórdão”
“O Conselho da Europa condenou Portugal por violar o direito das crianças depois do Supremo Tribunal de Justiça (STJ) ter considerado «lícitos» e «aceitáveis» alguns castigos corporais infligidos a jovens deficientes de um lar em Setúbal.” (fonte: d.d.)

O que dizer em relação a isto?
O que pensarão os outros países de nós?
É muito triste.

11 comentários:

Enfim... disse...

pensarão que não somos muito ou nada normais

Bom fim semana

Bernardo Moura disse...

É.
Bom fim-de-semana!

lino disse...

É só para dizer que tenho andado por cá. E essa do Conselho da Europa, podem (os do tal Conselho, naturalmente)enfiá-la num sítio que eu não quero escrever. Uma nalgada no momento oportuno nunca fez mal a ninguém. A minha filha, que tem 25 anos e é cientista, diz-me que só se perderam as que foram com pouca força. Foram pouquíssimas, apenas no rabo, só até aos 3 anitos. Nunca na cara, que é um insulto, nem noutra parte do corpo, que podia magoar. E também não me preocupo com o que dizem de nós. Viajei pouco, mas o suficiente para saber que até nem vamos tão mal. Por exemplo, a imprensa inglesa, em lugar de cascar nos pais (que até são médicos) por terem deixado três criancinhas sozinhas para irem jantar com os amigos, critica a PJ. Que eu saiba, a PJ ainda não deu 11 (onze) tiros num inocente, como fez a "eficiente" polícia inglesa a um tal brasileiro "De Menezes".

Bernardo Moura disse...

É verdade. Tantas coisas que os ingleses fazem e para se tentarem camuflar apontam logo para os supostos erros dos outros, mas neste caso não existe qualquer erro, a P.J. está a trabalhar muito bem, não vai andar a dizer as pistas que tem para a imprensa porque obviamente compromete a investigação, mais que logico. Mas para os ingleses parece que não. Enfim, eles que pensem o que quiserem.
Abraço

Anónimo disse...

Quer dizer que hoje não se pode chamar a atenção das POBRES criançinhas em algo que as possa repremir nos seus actos de FAZER a cabeça do ADULTO em água.
No meu tempo os PROFESSORES tinham a CANA da INDIA ou aquela régua de sete furos que aprendiamos a MATEMÁTICA e BEM e olhem que não morremos por isso nem iamos ao PSICOLOGOS.
Que aliás ao fazer queixa de o PROFESSOR nos batia ainda levávamos era mais nos costádos.
Hoje são uns queixinhas por tudo e por nada.
touaqui42

Bernardo Moura disse...

Caro Touaqui42,
não concordo com a forma como antigamente os professores funcionavam, jamais. Mas que tem que haver regras, isso tem.
Abraço

GMaciel disse...

Penso que o acórdão do tribunal português foi bem sancionado pelo Tribunal europeu, porque uma coisa são umas palmadas numa criança que apenas o é, outra muito diferente são maus-tratos a uma criança deficiente - que foi o caso em questão.
Eu levei muitas, de cinto e tudo, porque também pintei a manta, mas sou incapaz de levantar a mão para o meu filho e ele é um jovem que toda a gente me elogia pela personalidade e boa educação.
O erro de ontem e de hoje, é confundir-se a necessidade de disciplinar com a prepotência de ontem e o facilitismo de hoje.
Disciplinar é um acto de amor, não o fazer ou cometer excessos é comodismo ou cobardia, consoante seja o primeiro ou o segundo caso.
Mas isto é o que eu penso, e por isso mesmo vale o que vale.
:)

GMaciel disse...

Já agora e porque me esqueci, educar implica fazê-lo pelo exemplo, e isso é o que não se vê hoje em dia. Os pais sancionam algo mas fazem o seu contrário e uma criança não é idiota.
Tenho dito... mesmo que seja asneira.
:(
:)
Quanto aos ingleses, conheço-os bem porque me dou com eles por questões profissionais do meu marido e apenas vos adianto que por baixo daquela fleuma toda, existe um pirata.
:)

Bernardo Moura disse...

Querida Graça,
tens muita razão e continua a educar o teu filho assim, bem!:)
Beijo

Miss Alcor disse...

O STJ farta-se de fazer merda! Nem sei como é que ainda existe!
Supremo o raio!!!

Bernardo Moura disse...

Eu não sei como é ainda existem tantas "coisas", enfim.
Bj