quinta-feira, julho 23, 2009

CHORO!

Por vezes choro. Sim, choro!
Não tenho, nem nunca tive qualquer tipo de "problema" em dizer que choro.
Choro por muitas razões. Choro pela injustiça, pelo desprezo, pelos maus tratos, pela sociedade que cada vez menos o é, enfim choro por milhares de razões.
Há dias que me apetece gritar bem alto e abanar o cérebro das pessoas, mas não o faço. Grito para dentro, ai como grito.
É difícil sobreviver, cada vez mais,como por exemplo no mundo laboral. Está de tal forma precário, que não vejo o retrocesso apenas vejo o avanço e a sua destruição por completo.
Porque é que há tanta dificuldade em viver em harmonia? É assim tão complexo? Mesmo?
Não, não é. Apenas não há vontade ou vontades para que tal exista.
Muitas pessoas lêem este texto e pensarão: " Que sujeito mais utópico! ". Pois eu, eu não me considero utópico, alienado ou lírico.
Eu não vou viver num planeta onde as pessoas se destroem. Eu lutarei sempre para que a paz, a erradicação da pobreza e todos os pontos negativos que avassalam o nosso planeta acabem.
Sou assim e assim serei.

7 comentários:

andreia vilhena disse...

Chorom!!!!

LOL

"Epá, és mesmo utópico..."

:))

Horushu disse...

Bernardo, quando eu morrer a minha mulher e o bebé ganham 20 000 contos do Seguro de Vida. Mas se morresse por suicídio eles não ganhavam nada. É-me indiferente a minha sorte. Tenho uma femeazinha e um Santinho que me amam, sou a primeira defesa deles, quero servir para isso. "Never explain, never complain". Para quem vos quer bem ( e tu agora também és uma figura pública por te teres casado com a Andreia e seres o pai do vosso querido bebé), desejo sinceramente, Bernardo, que estejas a trabalhar 10 h por dia e 7 dias por semana. A tua família bem o merece e, menos do que isso, não é nada. Não assustes os vossos fãs com choraminguices de que terias demasiadas qualidades artísticas para trabalhares tanto em algo de que não gostas. Eu só desejo que tenhas as qualidades artísticas para poderes sustentar a tua família como um Homem.

Não leves a mal,

Jorge

Bernardo Moura disse...

Não se trata de choraminguices, pelo contrário apenas uma reflexão sobre a actual sociedade e um desabafo.
Cada um entende como quiser.
Eu escrevo o que me apetece neste espaço e tenho a sensação de que não entendeste o que tento transmitir.

Passa bem.

Bernardo Moura disse...

"..se morresse por suicídio eles não ganhavam nada.", e que conversa é esta de suicídio?

Enfim..

Teresa disse...

Acima de tudo a ausência de valores destrói tudo aquilo em que nos inserimos.
A falta de respeito, de sinceridade de compreensão e o excesso de egoísmo.
Se todos acreditassemos e quisessemos realmente fazer um mundo melhor, talvez conseguissemos ainda dar a volta.
Assim, resta-nos ir sobrevivendo e aceitando que estamos a remar para lados diferentes, ou, num fundo de esperança, tentarmos encontrar opções melhores dentro daquilo que (não merecemos mas) temos.
Haja força para nos levantarmos de manhã e vermos uma razão para chegar ao fim do dia.
O tempo parou.
Quem sabe um dia sintamos que tudo está diferente. Quem sabe um dia tenhamos um objectivo de vida.




Desabafo
Confusão
Muita confusão

Bernardo Moura disse...

Teresa,

como disse, em resposta ao seu comentário no "post aberto", o Jorge e a Teresa estão a meter-se na vida de uma pessoa que não conhecem pessoalmente e que sempre foi cordial em todos os e-mail`s e comentários que me deixaram mas isto:

"Acima de tudo a ausência de valores destrói tudo aquilo em que nos inserimos.
A falta de respeito, de sinceridade de compreensão e o excesso de egoísmo.
Se todos acreditassemos e quisessemos realmente fazer um mundo melhor, talvez conseguissemos ainda dar a volta.
Assim, resta-nos ir sobrevivendo e aceitando que estamos a remar para lados diferentes, ou, num fundo de esperança, tentarmos encontrar opções melhores dentro daquilo que (não merecemos mas) temos.
Haja força para nos levantarmos de manhã e vermos uma razão para chegar ao fim do dia.
O tempo parou.
Quem sabe um dia sintamos que tudo está diferente. Quem sabe um dia tenhamos um objectivo de vida.




Desabafo
Confusão
Muita confusão " (Teresa)

e isto:

" Bernardo, quando eu morrer a minha mulher e o bebé ganham 20 000 contos do Seguro de Vida. Mas se morresse por suicídio eles não ganhavam nada. É-me indiferente a minha sorte. Tenho uma femeazinha e um Santinho que me amam, sou a primeira defesa deles, quero servir para isso. "Never explain, never complain". Para quem vos quer bem ( e tu agora também és uma figura pública por te teres casado com a Andreia e seres o pai do vosso querido bebé), desejo sinceramente, Bernardo, que estejas a trabalhar 10 h por dia e 7 dias por semana. A tua família bem o merece e, menos do que isso, não é nada. Não assustes os vossos fãs com choraminguices de que terias demasiadas qualidades artísticas para trabalhares tanto em algo de que não gostas. Eu só desejo que tenhas as qualidades artísticas para poderes sustentar a tua família como um Homem."

Ultrapassa as marcas.

Nunca dei vos dei liberdade, nem darei para que se dirijam a mim assim. Não conhecem a minha vida, não se julguem os "senhores da razão" e com isso fazer julgamentos da vida dos outros.
Tratem de construir a vossa vida e de se preocuparem com o vosso filho e afins, pois eu também faço pela minha vida.

Não voltarei a responder a este tipo de comentários.

Digo-lhe, como disse ao Jorge, este espaço é meu. É como a minha casa e na minha casa só entra quem quero, se insistirem em deixar comentários deste tipo eu vou-me sentir na obrigação de os apagar.

Passem bem

Horushu disse...
Este comentário foi removido pelo autor.