segunda-feira, outubro 05, 2009

PAIS HOMOSSEXUAIS


Gostava muito de ter opiniões sobre pais homossexuais.

Li ESTA notícia.

Aconselho a leitura.

Peço uma troca de opiniões saudável.

7 comentários:

andreia vilhena disse...

Eu sou da opinião de que todas as crianças devem ter pais. O que interessa se homossexuais ou hetero?? A homossexualidade não é uma "doença" que "afecte" a capacidade de amar e educar uma criança, balha-me deus!

Tenho dito

Tongzhi disse...

Gostaria, de início, de referir a "validade" deste e de outros estudos em que a amostra é muito pequena. Fazer generalizações, a partir destes casos, é sempre perigoso e, muitas vezes, tendencioso. Mas o que se tem de dar como demonstrado é que, para este conjunto de pessoas, o dados apontaram para esta conclusão.
Sou pai e homossexual já há alguns anos. Mantenho com o meu filho, que conhece a minha opção, uma relação extraordinária assente no respeito mútuo. A minha experiência de vida e o modo como estou atento às relações humanas, leva-me a dizer que cada caso é um caso. Há casais hetero que nunca deviam ser país e outros que o são com toda a propriedade. De igual modo, conheço casos semelhantes entre casais homossexuais.
Neste sentido, revejo-me no comentário da Andreia quanto à capacidade de amar e educar uma criança. Gostaria apenas de lembrar as muitas crianças que, nas vergonhosas instituições que Portugal dispõe, aguardam uma oportunidade de encontrar a felicidade....

BERNARDO MOURA disse...

Amigo TongZhi,

"Gostaria apenas de lembrar as muitas crianças que, nas vergonhosas instituições que Portugal dispõe, aguardam uma oportunidade de encontrar a felicidade....".

Já que falas neste assunto, de extrema importância digo-te o que há relativamente pouco tempo escrevi, em resposta a um comentário de um post.

Infelizmente,variadas razões vêem a público, como justificação de manter crianças em instituições de acolhimento e o porquê das demoras no que toca a um processo de adopção. Essas "razões" que os responsáveis encontram e dão a conhecimento público é uma mera "manobra de diversão".
Interessa-lhes manter as instituições abertas e se possível com muitas crianças. Porquê? Para receberem os fundos a que têm direito. Os fundos são utilizados em prol de quem? Das crianças é que não são de certeza.
Agora, quando acabarem com estas "mamas", podem começar a ser mais celeres com os processos, abrir as mentes (quem sabe..) e proporcionar a milhares de crianças as melhores condições de vida. Quer enquanto estão nas instituições, quer na família que os receberá e amará.

Poderia-me alongar, ao tentar demonstrar o porquê de não perceber o facto de não permitirem um casal homossexual adoptar uma criança. Mas não o vou fazer, porque teria de colocar uma serie de outras questões, em relação aos direitos que os homossexuais tem como qualquer heterossexual.

Seria um texto muito longo e quem me conhece, como tu TongZhi, sabe que me revolta de uma maneira doída toda a homofobia.

Grande abraço

Tongzhi disse...

Bernardo

A análise que faço das razões da morosidade dos processos de adopção, são, em tudo, bastante concordantes com as que apresentas.
Quanto aos direitos nem é bom falar. De facto isso levar-nos-ia a uma longa conversa. Apenas aponto que tudo assenta nas mentalidades das pessoas em geral e não só dos "ditos" pouco informados e/ou cultos...
A ver vamos como as coisas irão evoluir.
Quanto à tua posição sobre este assunto, penso que a conheço relativamente bem. É precisamente por essa razão que não poderia ler o teu post e deixar de dar o meu contributo.

Bem hajas

Abraço

BERNARDO MOURA disse...

Amigo TongZhi,

obrigado!

Bem hajas

Abraço

Maria disse...

Nós ( assim mesmo na generalidade, nós humanos), somos muito maus, alguns de nós deixam os filhos em instituições e só os vão ver de seis em seis meses, o máximo de intervalo para não lhes perdermos o direito, e não os deixamos serem criados por outros que iriam dar todo o apoio e carinho, porque queremos que eles sejam nossos e não queremos que ninguem diga que os abandonámos nem que para isso eles tenham que ter uma vida inteira sem familia. Por outro lado aquelas crianças que podem ser adotadas prolongamos tanto o processo que se torna quase impossivel adotar crianças pequeninas e depois aquelas já crescidinhas que alguns de nós homosexuais assumidos querem criar como suas outra parte de nós não o permite porque nós vamos marginalizar essas crianças por terem pais homossexuais.
Nòs somos mesmo muito complicados...

BERNARDO MOURA disse...

Amiga Maria,

"Nòs somos mesmo muito complicados..."

Não somos nós que somos complicados, determinadas pessoas que apenas/dinheiro à frente é que complicam tudo, mesmo TUDO!

Cumprimentos