quarta-feira, agosto 27, 2008

Feliz!

Estou surpreso e muito agradecido!

Carlos Pinto Coelho colocou no blog Sorumbático um passatempo onde era pedido que se escrevesse um texto ou diálogo tendo como base esta fotografia em Israel.


Pois bem, eu fui um dos vencedores para grande espanto meu. Não se trata de falsa modéstia minha, de todo. Tenho a perfeita noção das minhas capacidades no que toca à escrita.

Mais uma vez agradeço muito o prémio que me foi atribuido pela escrita deste texto:

"Fugi ao pedido e não escrevi um diálogo.
Como vi o post há uns dias e de repente apeteceu-me participar, não me recordei que teria de ser um diálogo.

Aqui deixo o que escrevi:


Três e meia da tarde e a temperatura obrigava a um repouso.
Uns gozavam a sesta, outros liam e alguns recordavam sem nostalgia o passado e sorriam.
Poucos eram os que se tinham habituado ao silêncio das tardes, noites e manhãs. Gozavam-no como ninguém, por vezes sentiam e comentavam com outros que parecia um sonho.
A paz tinha aparecido há cerca de três anos.
Novos e bons hábitos se tinham enraizado na sociedade. Um deles era o convívio no café após a sesta, que proporcionavam grandes gargalhadas, jogatinas, lanches e muitas tertúlias sobre a vida. As crianças brincavam na rua junto à entrada do café com berlindes, piões e jogos de grupo.
Sentada numa cadeira da esplanada Yahweh recordava a sua infância. Não tinha sido fácil, pelo contrário. Tinha sido dura, traumatizante. Guardava memorias horríveis e no entanto ao olhar as crianças, as pessoas que riam dentro do café, pensou: “ Tudo passou! Tudo melhorou! Viverei bem! O meu passado? Esse, vou fingir que foi um livro que li, não gostei e queimei! “.

Não sinto que este texto seja bom.
Gostaria é que a realidade em Israel fosse outra.

Um abraço,

Bernardo"

9 comentários:

Zé do Cão disse...

Um abraço e parabéns.

Com um calor daqueles, num sitio de colocar os cabelos em pé de um careca
com receio dalgum petardo, até o Pessoal deixava a cadeira.

Texto muito bonito
e o Zé do Cão, deixou um graça que não tem graça nenhuma.

Zé do Cão disse...

rectificação.
Onde está escrito Pessoal, deve ler-se PESSOA

Armindo Guimarães disse...

Disse o Bernardo do seu texto:
"Não sinto que este texto seja bom."

E eu digo:
Também acho que o texto não é bom.

É muito bom, carago!

Parabéns!

Bernardo Moura disse...

Caro Zé do Cão,
obrigado!
Abraço

Bernardo Moura disse...

Caro Armindo,
muito obrigado.
Continuo a sentir o mesmo em relação ao texto.
:)

Abraço

BlueVelvet disse...

Parabéns Bernardo.
Achei o texto excelente.
Veludinhos azuis

Bernardo Moura disse...

Querida Bluevelvet,
obrigado! :)
Bj

miriamdomar disse...

Adorei o texto ! Então o remate final , é lindo!"O meu passado? Esse,vou fingir que foi um livro que li, não gostei e queimei!"
Parabéns ! O prémio foi bem merecido!
Tu não sentes que o texto seja bom
( isso é um mal dos escritores), mas o certo é que, sentiste bem a realidade em Israel!
Bjs

Bernardo Moura disse...

Querida Miriamdomar,
obrigado! :)
Bjs