sábado, novembro 24, 2007

POST ABERTO!


ESPAÇO ABERTO!

VALE TUDO!

MENOS PONTAPÉS NOS T..!:)

12 comentários:

GMaciel disse...

Bom dia!!!

Cá vai a minha contribuição:

Hospital psiquiátrico;
"teste da banheira"
Durante a visita a um hospital psiquiátrico o nosso 1.º Ministro perguntou ao director:
- Qual é o critério pelo qual vocês decidem quem precisa ser hospitalizado aqui?
Respondeu o director:
- Nós enchemos uma banheira com água e oferecemos ao doente uma colher, um copo e um balde e pedimos que a esvazie. De acordo com a forma que ele decida realizar a missão, nós decidimos se o hospitalizamos ou não!
- Entendi, disse o nosso Sócrates, uma pessoa normal usaria o balde, que é maior que o copo e a colher.
- Não" respondeu o director, uma pessoa normal tiraria a tampa do ralo. O que o senhor prefere? Quarto particular ou enfermaria?

:)

GMaciel disse...

Mais esta:

O mais alentejano dos alentejanos...

Três amigos alentejanos a esgrimirem as suas qualidades:
- Ê sô tã preguiçoso que no outro dia, vi uns maços de notas no chão, e não os apanhê p'rá nã ter que m'agachari.

Prossegue um outro:
- Isso nã é nada. A minha vizinha super-sexy tocou-me à porta, a convidar-me para ir passar a noite à casa dela e eu recusei p'ra nã ter que atravessar a rua.

E o terceiro:
- Pois o mê caso foi piori. No domingo fui ao cinema e passei o filme todo a chorari.
- Só isso? - Comentaram os outros.

- É que ao sentar-me, entalê os tomates e não estive p'ra me levantari!


LOL

Anónimo disse...

> Depois de uma longa e intensa noite de amor... o homem... como sempre tira
> um cigarrinho do jeans e procura alguma coisa para acendê-lo...
> Não encontrando, pergunta à companheira se ela tem alguma coisa para
> acender seu cigarro...
> Ela diz:
> - Deve haver alguma coisa aí... na gaveta da mesinha de cabeceira...
> Ele abre a gaveta e encontra uma foto de um homem...
> Preocupado, pergunta:
> - É seu marido?
> - Não, tontinho! - responde ela... se aconchegando mais amorosamente...
> - Então... é seu namorado?
> - Não, é coisa do passado! - diz ela, dando uma mordidinha na orelha
> dele...
> - Bem... então... quem é? - pergunta o rapaz muito desconcertado...
> Serenamente a moça responde:
> - Sou eu... antes da operação...
touaqui42

Um Momento disse...

Está bem...
Pode ser um pontapé nos M...??
Sorrindo:)))
Bm Domingo

Beijinho

(*)

Paula Raposo disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Paula Raposo disse...

Também acho. Tudo menos pontapés nos tomates. Acho que isso dói mesmo muito! Não tenho imaginação para contribuir, mas que tenho passado uns momentos giros quando venho aqui, tenho. Ainda bem que o A.Santos me falou neste blog.

Jofre Alves disse...

Este aviso deveria ser feito às instâncias governativas que nos fartam de dar pontapés nos ditos t... Com gosto passei para ver e apreciar o blogue. Boa semana.

Tongzhi disse...

Com o frio que está, acho que os ditos ja sofrem o suficiente :)

maria porto disse...

Duas amigas estavam conversando na sala de estar, tomando um cafezinho, até que uma amiga pergunta:

- Amiga cadê seu marido.

A amiga responde um pouco assustada:

- Você não soube? Ele morreu, pedi para comprar açúcar para adoçar meu café e ele foi atropelado no caminho do super mercado.

A outra amiga um pouco caridosa, tenta fazer outra pergunta para ver se ela já estava mais conformada:

- Mas, o que você fez?

A amiga responde:

- Bem, tomei o café sem açúcar mesmo.

GMaciel disse...

Bom dia!!!

Poesia alentejana

Subi a um êcaliptre
com o tê retrato na mão
desencaliptr~e-me lá de cima
malhê com os cornos no chão.

Atirê um limão rolando
à tua porta parou
depois fiquê pensando...
será que o cabrão se cansou???

Ê vi-te no tê jardim
andavas colhendo hortelã
ê cá gosto de ti
e tu??? Hãããã???

:)

António Sabão disse...

Numa rua de Santo Tirso, um homem encontra um relógio. Quando vai apanhá-lo, ouve uma voz que diz:
- Ouça lá, esse relógio é meu.
- Mas como, se você vinha atrás de mim?!
- É que esse relógio anda sempre adiantado.

Olá!! disse...

Zé Tó é um homem de todas as mulheres e de mulher nenhuma.
Um dia, depois de um orgasmo, olhou bem no fundo dos olhos da Conceição e emocionado perguntou-lhe:
- Queres dar o nó ?
Ela, com os olhos molhados e um sorriso parvo, disse que sim.
Então o Zé Tó tirou o preservativo usado e passou-o para a mão da Conceição.