quarta-feira, junho 25, 2008

POEMA


OS DIAS DE VERÃO

Os dias de verão vastos como um reino
Cintilantes de areia e maré lisa
Os quartos apuram seu fresco de penumbra
Irmão do lírio e da concha é nosso corpo

Tempo é de repouso e festa
O instante é completo como um fruto
Irmão do universo é nosso corpo

O destino torna-se próximo e legível
Enquanto no terraço fitamos o alto enigma familiar dos astros
Que em sua imóvel mobilidade nos conduzem

Como se em tudo aflorasse eternidade

Justa é a forma do nosso corpo

de Sophia de Mello Breyner Andresen

4 comentários:

Paula Raposo disse...

Um poema lindíssimo!!

xico man disse...

Poetas escolhem Poetas.

Anónimo disse...

Fico com a impressão que gosto de poesia quando não gosto.
touaqui42

Bernardo Moura disse...

Gosta, gosta!
Ab