quinta-feira, setembro 27, 2007

Como uma luva!

"Este mundo não presta, venha outro.
Já por tempo de mais aqui andamos
A fingir de razões suficientes.
Sejamos cães do cão: sabemos tudo
De morder os mais fracos se mandamos,
E de lamber as mãos, se dependentes. "

8 comentários:

RIC disse...

Nem mais!
Parabéns pela ideia! Às vezes esqueço-me de que ele também tem excelentes poemas!...
Muito obrigado!
Um abraço!
:-)

Bernardo Moura disse...

Não tens nada que agradecer!
Abraço

Cláudia Ribeiro disse...

Relembraste-me de que tenho de começar a ler o Memorial..

Bernardo Moura disse...

EHEHEH!!
Então começa! :)

GMaciel disse...

Sou absolutamente ignorante no que toca a Saramago, confesso, apenas li "O evangelho segundo Jesus Cristo", pelo que este trecho - penso eu que seja um trecho de uma obra maior - foi unma deliciosa descoberta. Especialmente porque diz tudo o que a garganta me cala.
:(

Bernardo Moura disse...

Pois diz!

Anónimo disse...

Um poema da VIDA REAL de hoje.

Morder os mais fracos

E de lamber as mãos, se dependentes.

touaqui42

Bernardo Moura disse...

É fantástico não é?
Infelizmente para o povo.