quinta-feira, agosto 20, 2009

HOMOFOBIA


O Hospital de Santo António, no Porto não permite aos homossexuais doar sangue!?!?!?!

Porquê?

Leiam AQUI.

País mais..é melhor conter-me nas palavras.

14 comentários:

anareis disse...

Eu sei na pele o que é o preconceito: é preconceito contra os negros,os pobres,os favelados,os gays. Com tanta violencia no mundo, tanta gente passando fome e o homem ainda pensa tão pequeno,é muita hipocrisia.

Bernardo Moura disse...

Cara Ana Reis,

Belas palavras!

Sofia disse...

Berna, já sabes que nunca escrevo, mas quando me sobe a mostarda ao nariz... prepara-te que aí vai disto!
Infelizmente conheço demasiadamente bem a realidade deste pseudo hospital. Quem me conhece sabe que sou a pessoa mais calma do mundo, no entanto pelas minhas passagens por aquele local contam-se: duas portas abertas à biqueirada, 1358962 insultos aos pseudo funcionários que mais parecem polícias de giro a passearem as suas orgulhosas barrigas e às queridas enfermeiras que devem ter um problema hormonal e não saem da idade do armário, só se preocupam com os telemoveis, o baton e as férias do próxmo ano, uma tentativa falhada (pela presença de um vidro demasiado espesso) de espancar uma médica, um encontrão que fez desaparecer de vista o porteiro, um médico a correr pois temeu pela vida depois de me ver a transformar no Hulk, enfim, estas são algumas das que me lembro. Imaginem as barbaridades que se passaram ali para me tirarem do sério a este ponto.
Bem, relativamente ao assunto em epigrafe, só tenho a referir que se pudesse agradecia a todos os dadores de sangue pessoalmente, são pessoas altruistas como os dadores que permitiram que a minha Mãe me acompanhasse por mais alguns anos de vida.
Estive a ler alguns dos comentários do JN e só posso concluir que as pessoas que acharam bem esta decisão devem ser os habituais "machos" dissimulados que como são tão inseguros da sua sexualidade receiam os homosexuais, bem como devem achar que se algum dia receberem uma transfusão de sangue de um/a homosexual vão sair do hospital tipo clones do Zé Castelo Branco e nunca mais vão ser respeitados porque têm consciência que a sociedade está cheia de atrasados mentais como eles próprios! Além disso eu acho é que se alguém deveria ser submetido a testes extra, seriam os homens heteros e os respeitosos pais de familia que tantas horas extra passam a trabalhar para garantir o sustento dos seus, trabalham no Penthouse, Elefante Branco, Passerelle, Rua da Alegria, parque Eduardo VII, etc, etc, é só horas extra! Sim, os homens hetero, os machos latinos, que se recusam a usar preservativo e andam para aí a espalhar doenças, os mais respeitáveis membros da nossa sociedade que têm empregos decentes, familias e uma vida paralela que mete nojo aos cães!E já agora, alguém me sabe explicar como é que um enfermeiro que vai tirar sangue a um dador sabe se este/a é homosexual ou não? Vai com as calças para baixo para ver se nas calças do dador aparece alguma "reacção"?
Só consigo chegar a uma conclusão, se não permitem aos homosexuais serem dadores de sangue porque estes graças a Deus admitem ter vida sexual enquanto os respeitosos heteros gabam-se de fazer a travessia do deserto emocional, é porque não fazem testes ao sangue doado! Sim, porque se se efectuassem testes, a sexualidade nunca seria um factor de selecção, mas sim a pureza e qualidade do sangue! Mas será que ninguém se deu ao trabalho de questionar isto? Gostava de saber a explicação da frustada da directora do Hosp. St. Antonio a esta questão!
Viva os gays assumidos, não assumidos, os heteros e os assim assim, viva as pessoas sinceras e que sabem viver, viva os altruistas e dadores de sangue que tantas vidas salvam!
beijos e abraços

Bernardo Moura disse...

Querida,

EXCELENTE!

A 1000% de acordo.

Beijos grandes

Maria disse...

Olá Bernardo, eu sou dadora no Garcia de orta em Almada e embora pessoalmente não tenha qualquer queixa em relação ao hospital, não posso deixar e referir que no serviço de hematologia tambem estão expostas uma série de normas que devemos respeitar para poder dar sangue sendo que uma delas é não ser homosexual embora na consulta prévia que sempre fazem nunca ninguem me tenha perguntado nada nem nunca ouvi dizer que perguntassem a quem quer que fosse.

Bernardo Moura disse...

Olá, Maria!

Por alguma razão perguntaram.

O que é que a orientação sexual tem a ver com a doação de sangue? Aliás, com tudo.

Quando o sangue é doado é analisado, volto a questionar, o que é que a orientação sexual tem a ver com a doação de sangue?

É pura e simples hipocrisia, preconceito e sobre tudo uma enorme falta de informação, ou aceitação..sei lá.

Para mim, é revoltante.

Eu sou heterossexual.

Conheço muitos homossexuais e bissexuais e estas atitudes mexem comigo, muito.

É pura e simples burrice.. eu sei lá..

Não consigo compreender, nem quero.

Um dia, pode ser que os preconceitos e este em particular desapareça. Espero que esse dia esteja muito próximo.

Cumprimentos

Jose Pedro disse...

Caro Bernardo!!
Perante esta notícia do Hospital de Santo António, não posso senão estrear-me na escrita de um comentário no teu blog. Já agora um abraço para ti (Zá Pedro da Ruiva).

Conforme a Sofia, e muito bem mencionou, as nossas instituições de saúde, nomeadamente os hospitais públicos, mais parecem um mercado de carne do que outra coisa qualquer. Não quero insinuar culpas de nenhuma classe profissional que lá trabalhe, as quais, embora falhem, conforme a Sofia mencionou também (mas isso acontece em qualquer lugar onde haja pessoas a trabalhar... Não descurando os erros graves cometidos na situação da mãe da Sofia). O problema quanto a mim é ainda mais grave do que o desleixo profissional de médicos, enfermeiros e demais profissionais da área da saúde. O problema começa sim, em quem legisla e em quem assina documentos à laia de ordens ou directivas a cumprir. Senão vejamos: desde há uns anos para cá, que os hospitais públicos, tipicamente mal geridos, têm vindo a ter uma gestão privada, embora continuem como instituições de serviço público. Já de si, este mix de privado/público traz alguma confusão. Não contentes com isso, colocam no cargo de gestor do hospital, pessoas sem a mínima formação em Medidina, Enfermagem, Gestão Hospitalar... Vão sim buscar, economistas, gestores, etc... Teoricamente, esta decisão é acertada, pois, na teoria, um economista ou gestor é uma espécie de "faz-tudo" em termos de gestão e áreas de negócio, ou seja, não importa a área de negócio que ele está a gerir para o poder fazer. Quanto a mim, isto não passa de uma teoria absurda, muito menos para um hospital, onde quem não se preocupar com o bom funcianmento da instituição, mas também quem não se preocupar com o lado humano e humanitário (dos doentes), e quem não tiver o mínimo conhecimento de psicologia de enfermos não deveria estar habilitado a gerir um hospital!!!

Obviamente que esses ditos gestores, olham mais para as áreas que mais estudaram e que mais os acompanharam toda a vida - números (economia, rentabilidade, contabilidade, custos, etc..), reduzindo o tratamento de pessoas doentes e o serviço humanitário de salvar vidas a simples estatísticas ou somas de custos (no caso dos doentes) e a rácios de rentabilidade e produtividade nos caso dos profissionais da instituição!! Onde está o lado humano da coisa??? Será que um médico que ouve um paciente desabafar a sua vida inteira durante duas ou três horas (porque não tem mais ninguém com quem falar) é menos produtivo que aquele que simlesmente passou 10 receitas de Trombocid para 10 doentes que tinham comichão na pele?? Não me parece que rácios de produtividade e de rentabilidade se apliquem aqui. Mas o Ministério inssite nestes números e estatísticas.

Tanto é assim que os médicos passaram a ser avaliados pelo número de consultas/mês que efectuam no hospital!! Já viram onde isto vai parar??? A médicos mais preocupados em "despachar" o máximo de doentes possível no menor espaço de tempo possível para não serem acusados de falta de produtividade e rentabilidade e terem mesmo risco de despedimento. Mas anda toda a gente a brincar com isto???

Depois fecham hospitais em barda no interior do país!! Ou seja, por um lado querem fomentar a não desertificação do interior de Portugal, mas tiram-lhes os meios e os serviços essenciais. Por outro lado, os hospitais do litoral e das capitais de distrito, já de si sobrelotados e com doentes acima da capacidade, ficam ainda mais sobrelotados, logo com pior qualidade e pior serviço!! O que me espanta nisto, é que o pessoal continua a votar nestes energúmenos, intelejumentos da merda, que só cagam leis e... claro...o resultado de cagar é... MERDA!!!
(continua)

Jose Pedro disse...

Zé Pedro - (continuação)

Não me quero alongar mais em considerações gerais respeitantes à Saúde, vamos então abordar este caso específico do Hospital de Santo António!!

Como a Sofia disse e muito bem, então e os héteros que também têem comportamentos de risco??... Mas depois li bem a notícia e reparei que lá também fala nisso!! Ok , tudo bem, mas a questão fulcral qual é afinal?

Estamos a falar de dadores de sangue!!! Sangue para salvar vidas!! E vêem-me agora com inquéritos sobre os hábitos, comportamentos e orientações sexuais das pessoas????

Mas afinal querem salvar vidas com sangue ou querem fazer um censo sobre quem é gay ou quem anda a trucar com mais de uma???

Então e os armazéns de sangue??? Então e as análises que supostamente deveriam ser efectuadas ao sangue dos dadores???

Daqui se depreende que: Primeiro não se armazena stock de sangue no Hospital de Santo António (para dar espaço, após um mês, a poderem aparecer enfermidades); Segundo que nem sequer analisam o sangue dos dadores (senão nem punham de lado quem fosse gay ou socialmente "mal comportado").

Por último, mas não menos importante, que neste país reina a hipocrisia e a discriminação e também, muito importante, reina uma ditadura encapotada que controla tudo e todos!!
Então não saiu, há bem poucos meses, uma lei que diz que o cidadão não deve fornecer a pretexto alguém o seu bilhete de identidade a ninguém por causa da privacidade dos dados pessoais e andam-me estes agora a fazer perguntas e questionários sobre a vida pessoal das pessoas????
Parece-me que algo está errado aqui!!

E já agora, o que fazem à informação recolhida??? Para onde vai??? quem vai ver aquilo??? Como vai ser utilizada??? É só para a análise do dador???

Querem saber se o sangue é bom, recolham-no, ponham-no em stock durante um mês e façam a primeira e a segunda análise. Depois conservem o bom e deitem foram o mau!!

Com que direito um hospital se imiscui na vida pessoal de qualquer pessoa, discriminando aqueles com orientações sexuais diferentes do que sociedade nos impõe como normal???
(continua)

Jose Pedro disse...

Zé Pedro - (continuação)

Bem, este director do hospital e a própria Ministra deveriam ter o bom senso de não publicarem decretos estúpidos, fascistas, diria mesmo nazis, para pessoas altruístas que vão dar sangue para salvar a vida de outrem. A ministra que comece a pensar nos votos que vai perder, quer dos dadores, quer dos doentes...

Quanto aos comentários de alguns infelizes no site do JN, apenas tenho a dizer uma coisa: É muito triste!!!

É muito triste verificar que ainda há pessoas acéfalas, em que a vida gira à volta do futebol e que concerteza dão uma queca que nem dura 3 minutos mas acham-se os maiores machos do mundo!!

Por falar em futebol, é engraçado que essas bestas gostem tanto de ver 25 gajos a correr atrás de uma bola (ainda se fossem gajas), afinal parece-me haver aqui alguma tendência gay, ó intelejumentos!!

Aquele que profere a todo o vapor que ser gay é uma doença, meu amigo, hás-de ter 4 filhos e duas filhas "doentes"!! Tenho dito!

Aquele que "gritou" que esta medida era acertada: se tens tanto medinho assim, começa a preocupar-te quando fores a um bar ou restaurante e levares um copo à boca!! Vê lá se antes de ti não bebeu um gay pelo mesmo copo, que por acaso até sangrava um bocadinho das gengivas e tinha acabado de fazer um broche ao empregado de mesa, mas não teve tempo de limpar os resquícios!!

Quanto àquela besta que diz que os gays deveriam ser postos num calabouço e apodrecerem todos lá, meu amigo, deverias ser fechado numa cela cheia de gajas boas, mas todas lésbicas e que não te ligassem nenhuma, até dares em louco!!

Quanto ao amigo que fala dos gays não colocarem o preservativo, uma pergunta: colocas sempre o preservativo?? Tens um sempre à mão? Confias em todas as mulheres com quem te relacionas??

Estes comentários dão-me a perspectiva de um país promiscuamente inculto, atrasado e hipócrita. Sim, porque muitos destes "machos" concerteza já experimentaram ou continuam a ter a sua relaçãozinha gay às escondidas, seus bardamerdas!

Espero mesmo que um dia necessitem de uma transfusão de sangue e a única pessoa com sangue compatível
seja gay ou lésbica!! Por mim, deixava-os morrer!!

Zé Pedro - 2009-08-21

P.S. - Grande abraço Bernardo

Bernardo Moura disse...

Grande Zé Pedro,

o que escreveste é brilhante!

Um enorme abraço,

Bernardo

tronxa disse...

sao as nossas maravilhosas leis, bernardo!!!

fonix!!!

bjnhsss de bom fds

Bernardo Moura disse...

Eu diria fabulásticas !?!?!?!

E também não diria fonix, digo foda-se!

Bj

Jose Pedro disse...

Só mais um apontamento!

Dei o meu comentário anterior à laia de desabafo e indignação, mas não pensem que todas as situações relatadas sobre a nossa saúde são simples conjecturas ou rumores!

Não! É tudo verdade! Sei-o por viver e conviver com médicos na minha própria família!! Já agora só mais uma acha para a fogueira...

Conhecem o protocolo de Manchester, utilizado para efectuar a triagem aos doentes nos hospitais? Muito simples, um protocolo assinado a nível internacional em que quando o doente entra no hospital lhe é atribuída uma cor: vermelho = emergente; laranja = muito urgente; amarelo = urgente; verde 0 pouco urgente e azul = não urgente!

Pois fiquem sabendo que Portugal é o único país do mundo onde se acrescentou mais uma cor a este protocolo, à revelia do estipulado a nível mundial. Estamos a falar da cor branca = doente com cunha ou amigos no hospital!!

Incrédulos??? Também eu até ter perguntado a pessoas que trabalhavam no Hospital de S. João!! Esta é a mais pura das verdades!! Porque é que nunca saiu cá para fora em notícias?? Vá-se lá saber...

Outro escandalo é o software de gestão, o ALERT, que os hospitais públicos utilizam, o qual foi elaborado por um ex-funcionário do Ministério da Saúde, que "saiu" e montou uma empresa de informática onde desenvolveram este sistema. Escusado será dizer que o homem, com os seus "ex-amigos de trabalho" montou um esquema tal que todos os hospitais públicos têm o dito cujo software (que também inclui a cor branca no protocolo de Manchester). Os ditos cujos hospitais gastam toneladas de dinheiro a por cá para fora concursos públicos para aquisição de software, e sabem já de antemão quem vai ganhar o concurso, o ALERT. Pesquisem por ALERT no google e vejam, como eu vi, o protocolo que o Ministério da Saúde assinou com a empresa do ALERT para assegurar a adjudicação do sistema para os hospitais públicos!!

E ainda nos fecham os olhos com casos tipo Freeport... enfim...

É este o país em que vivemos!!

Bernardo Moura disse...

Grande Zé Pedro,

o que relatas é de extrema importância. A sociedade portuguesa tem de conhecer os meandros de tudo, especialmente do sistema de saúde.

Vou fazer uma pesquisa e divulgar aqui no meu espaço.

Muito obrigado pela tua informação.

Um enorme abraço