sábado, dezembro 23, 2006

Intrigante.




















No dia 7 de Dezembro telefonaram-me da A.P.A.V. para a minha loja a perguntar se não queria fazer um donativo, eu respondi que já tinha ajudado outras instituições e que não tinha possibilidades de ajudar todas. A senhora continuou a insistir e eu perguntei-lhe se não poderia ser em vez de dinheiro uma boneca, a senhora respondeu que sim e perguntou o valor da boneca para passar o recibo, entretanto ainda insistiu mais uma vez se não poderia ser uma oferta monetária e eu novamente expliquei. A senhora então disse-me que no dia 15 de Dezembro viriam buscar a boneca. Coloquei a boneca de parte e passou o dia 15 e não vieram, pensei que viriam na segunda-feira 18 e nada.
Hoje é 23 de Dezembro e não vieram buscar a boneca. O que se pode pensar desta atitude?

4 comentários:

Anónimo disse...

Está-se mesmo a ver não se está.
Hoje o ser Humanitário é com dinheiro á vista , hoje fazer-se o bem é com dinheiro dos outros .
Pode guardar a boneca que pode ser que um dia lhe entre pela porta uma mais necessitáda e que precise dela para brincar.
BOM NATAL para si e sua familia.touaqui42

Bernardo Moura disse...

Acredite que sim!
Abraço

js disse...

... peditórios e mais peditórios ...o todos eles com a expressão "não custa nada ajudar"... mas afinal se não custa nada ajudar, porque é que quem o diz não ajuda os outros em vez de andar a pedir?...
FORÇ'AÍ!
js de http://politicatsf.blogs.sapo.pt

Bernardo Moura disse...

Boa pergunta.