sexta-feira, maio 28, 2010

HORA DO LOBO




Tenho que dormir. Tenho absolutamente que dormir.
Detesto ter que dormir. O ter é que me lixa.
Eu quero dormir, não quero ter que dormir.
Assim não consigo.
Nem sei as horas. Deve ser tarde. Ou não.

Não sei o que diga.
Tenho que dormir.
Mas não quero.
Porque o mundo vai continuar sem mim enquanto durmo, e eu quero estar aqui.

O sono é o ladrão das horas. Alguém vai morrer enquanto durmo, e eu vou ignorar esse facto.
Alguém vai nascer e eu não vou saber.
Alguém, nalgum lugar, vai precisar de mim mesmo não sabendo que aqui estou.
E eu quero estar desperta, mesmo sendo isso inútil.
Não me peçam para dormir.
Fiquem ao pé de mim e falemos de nadas.
Falemos daquela vez que encontrámos um rebuçado no bolso das calças e que soube tão bem porque não sabíamos que o tínhamos.
Ou de quando lemos aquele livro que, não sabemos como, era sobre nós.
Falemos de quando estávamos doentes e a nossa mãe nos trazia leite morno e banda desenhada ao quarto, e de como era bom dormir com os cobertores chegados ás costas.
Falemos.
Façamos.
Não me apetece dormir.







Que horas são?

3 comentários:

Alexandre disse...

Algo inovador este post? Já li isto por ti em qualquer lado =P

Andreia Vilhena disse...

Yeap, no meu blogue :)

Bjo

Celeborn disse...

O melhor disto tudo é que o destino funciona... acabei de escrever sobre isto :)
Pouco depois fui pesquisar blogs interessantes e apareceu-me isto :)
Esbocei um sorriso :)